Tíquete médio alto, de R$73, impulsiona receita do setor; Foram 16 milhões de livros vendidos em 2016.

O e-commerce já é responsável por quase 1/3 da receita proveniente da vendas de livros no Brasil. As vendas online geraram R$1,18 bilhão de faturamento, cerca de 30% do faturamento do mercado editorial nacional. A estimativa é da Ebit, empresa referência em informações sobre o comércio eletrônico, baseada nos dados do Censo do Livro Digital ano base 2016*. Foram 16 milhões de livros vendidos pela internet.

O mercado de livros online corresponde a apenas 7% do total de livros vendidos, de 228,3 milhões, mas possui uma participação de quase 1/3 no faturamento total do setor, por conta do tíquete médio elevado. “Quem compra livro físico no comércio eletrônico, dificilmente coloca apenas um no carrinho, até para tentar diluir o valor do frete. A média é de 1,6 livros por pedido, com tíquete médio de R$73,70, mais de quatro vezes maior que o valor médio no varejo offline, que é de R$17,15 centavos, segundo o Censo do Livro Digital*”, afirmou Pedro Guasti, CEO da Ebit.

Os e-books correspondem a apenas 1% do faturamento do mercado como um todo, mas já possuem participação expressiva no e-commerce. Foram 2,73 milhões unidades comercializadas em 2016, correspondentes a 17% do total de livros vendidos na internet. “Esse é um mercado em crescimento, mas ainda não ameaça as lojas físicas, como o mercado imaginava quando surgiram os primeiros e-readers”, explica Guasti.

O e-consumidor gastou R$96,3 milhões de reais com frete nas compras de livros, o que corresponde a 7,6% do faturamento total do setor no e-commerce em 2016. Dados do relatório Webshoppers 36, lançado em agosto pela Ebit, que traz o balanço do comércio eletrônico no primeiro semestre de 2017, aponta que a categoria livros/apostilas/assinatura correspondeu a 8,5% dos pedidos realizados pelo e-commerce no período.

*O Censo do Livro Digital é produzido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), a pedido da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).