3ª edição de pesquisa PayPal/Ipsos traça o perfil do consumidor online no Brasil e em outros 31 países.

Foram levantados hábitos de consumo de mais de 28 mil internautas ao redor do mundo via PC, notebook, tablet, smartphone e outros equipamentos com acesso à internet.

Tendo como pano de fundo o fato de que, no Brasil, os dispositivos móveis já somam quase 170 milhões de unidades (aumento de quase 10% em relação a 2015), segundo recente levantamento da FGV, seria de se esperar que as vendas online via smartphone e tablet também aumentassem. E foi isso mesmo o que aconteceu, de acordo com a terceira edição da pesquisa PayPal/Ipsos que traçou o perfil do consumidor online: em média, os compradores online brasileiros afirmam que 17% do total gasto em compras online nos últimos doze meses se deram via smartphones (em 2015, haviam sido 13%); e quando o assunto foi compras feitas em sites de outros países via smartphone, o índice atingiu 18% (no ano passado, não passou de 14%).

Essas são algumas das muitas conclusões a que o estudo chegou no Brasil. No total, a Ipsos ouviu mais de 28 mil internautas em 32 países para entender, entre outras coisas, por que as pessoas têm comprado produtos e/ou serviços via internet. Outros pontos abordados foram: como está o comércio cross-border (entre fronteiras); que tipo de equipamento as pessoas vêm usando para adquirir produtos/serviços online; o que as leva a querer comprar online; os principais produtos/serviços adquiridos (classificados por temas); e seus maiores receios na hora de finalizar compras pela web.

A pesquisa também apurou que 67% dos internautas brasileiros compraram online nos últimos 12 meses. Sendo que, desses compradores online, 55% afirmaram ter adquirido produtos somente em sites brasileiros (na pesquisa do ano passado, essa porcentagem era de 51%); 37% compraram tanto domesticamente quanto em sites de outros países (eram 45% em 2015); e 8% só compraram de sites estrangeiros (contra 4% no ano passado).

Outro ponto importante do estudo revela que, apesar da crise, 44% dos adultos entrevistados online acreditam que seus gastos online vão aumentar nos próximos 12 meses.

A seguir, as principais descobertas sobre os hábitos dos consumidores brasileiros que integram a pesquisa PayPal/Ipsos:

Do universo de internautas que compraram online nos últimos 12 meses (média de gastos online por canal):

  • 73% o fizeram em sites de compras dedicados por intermédio de um navegador de internet
  • 12% por meio de aplicativos (apps para equipamentos móveis) específicos
  • 6% via redes sociais
  • 9% via outros canais

Em que ocasiões ou épocas do ano os compradores cross-border compram mais do que normalmente em sites de outros países (% selecionada pelos compradores cross-border):

  • 49% na Black Friday
  • 43% no Natal
  • 38% em vendas sazonais
  • 21% no Dia das Mães
  • 16% no Dia dos Namorados
  • 14% no Dia dos Pais
  • 11% na Cyber Monday

Nas compras online cross-border, os métodos de pagamento mais usados nos últimos 12 meses foram (% de clientes transfronteiriços que utilizaram cada método para transações cross-border nos últimos 12 meses):

  • 48% PayPal
  • 48% boleto bancário
  • 32% Visa
  • 31% MasterCard
  • 21% PagSeguro

As principais razões para preferirem usar PayPal em compras cross-border? (% dos compradores transfronteiriços que afirmaram que o PayPal é o método de pagamento preferencial e que selecionaram cada um dos motivos abaixo para explicar essa preferência):

  • Porque é uma maneira segura de pagar (54%)
  • Porque o processo de pagamento é rápido (41%)
  • Porque é um método de pagamento conveniente (39%)
  • Porque posso ver quanto gastarei na moeda do meu país (39%)
  • Porque o check-out é rápido (39%)

Já nas compras online domésticas, os métodos de pagamento mais usados nos últimos 12 meses foram: (% dos compradores online domésticos que usaram cada método para uma transação doméstica online nos últimos 12 meses):

  • 57% boleto bancário
  • 52% MasterCard
  • 48% PagSeguro
  • 47% Visa
  • 45% PayPal

As principais razões para preferirem usar PayPal em compras domésticas (% dos compradores domésticos que afirmaram que o PayPal é o método de pagamento preferencial e que selecionaram cada um dos motivos abaixo para explicar essa preferência):

  • Porque é uma maneira segura de pagar (39%)
  • Porque o processo de pagamento é rápido (31%)
  • Porque é uma empresa conhecida e confiável (28%)

Participação dos gastos online totais por tipo de dispositivo. De acordo com os compradores online, em média:

  • 74% do total que gastaram online nos últimos doze meses se deu via desktop, notebook e laptop (eram 76% em 2015)
  • 17% do total que gastaram online se deu via smartphone (eram 13% em 2015)
  • 4% do total que gastaram online se deu via tablet (eram 7% em 2015)

Participação dos gastos online em sites do exterior por tipo de dispositivo. De acordo com os compradores cross-border, em média:

  • 71% das compras feitas em sites de outros países nos últimos 12 meses se deram via desktop, notebook e laptop (eram 74% em 2015)
  • 18% das compras feitas em sites de outros países nos últimos 12 meses se deram via smartphone (eram 14% em 2015)
  • 7% das compras feitas em sites de outros países nos últimos 12 meses se deram via tablet (eram 8% em 2015)

Razões pelas quais os adultos online pesquisados imaginam que seus gastos online vão aumentar nos próximos 12 meses (% dos adultos online que disseram que imaginam que seus gastos online aumentarão nos próximos 12 meses):

  • Conveniência na hora de comprar online (63%)
  • Mudança no rendimento disponível (48%)
  • Mudanças na economia (31%)

Razões pelas quais os adultos online pesquisados imaginam que seus gastos online vão diminuir nos próximos 12 meses (% dos adultos online que disseram que imaginam que seus gastos online diminuirão nos próximos 12 meses):

  • Planejam guardar mais dinheiro (51%)
  • Mudança no rendimento disponível (45%)
  • Mudanças na economia (42%)

Top 3 das categorias de produtos adquiridos pelos compradores online nos últimos 12 meses (% dos compradores que compraram online nessas categorias nos últimos 12 meses):

  • 53% adquiriram roupas, calçados e acessórios
  • 46% compraram equipamentos eletrônicos, computadores, tablets, smartphones
  • 38% compraram eletrodomésticos, utensílios domésticos e móveis

Top 3 das categorias de produtos adquiridos pelos compradores em sites de outros países nos últimos 12 meses (% dos compradores online que compraram em sites de outros países nessas categorias nos últimos 12 meses):

  • 47% compraram roupas, calçados e acessórios
  • 28% compraram cosméticos e produtos de beleza
  • 27% compraram equipamentos eletrônicos, computadores, tablets, smartphones

Dos brasileiros que compraram online nos últimos 12 meses…

  • 30% alegaram ter feito compras em sites da Ásia nos últimos 12 meses (principalmente da China, onde 29% fizeram compras). Em 2015, esse percentual bateu os 32%.
  • 19% alegaram ter feito compras em sites da América do Norte nos últimos 12 meses (principalmente nos EUA, onde 19% fizeram compras). Em 2015, esse índice era de 32%.
  • 7% dos compradores online alegaram tê-lo feito na Europa (eram 12% em 2015).
  • 4% dos compradores online responderam ter feito compras em sites das Américas do Sul (excluindo o Brasil) e Central (em 2015, foram 8%).

Principais razões pelas quais brasileiros que compraram online da China escolheram fazer compras nesse país (% dos que fizeram compras na China e que escolheram cada uma das opções abaixo):

  • 86% dos internautas afirmam que a principal motivação para comprar na China são os preços baixos
  • 73% dizem comprar na China pela chance de descobrir produtos novos
  • 61% deles declaram que a remessa de produtos desde a China é mais acessível do que a de outros países

Principais razões pelas quais brasileiros que compraram online dos Estados Unidos escolheram fazer compras nesse país (% dos que fizeram compras nos EUA e que escolheram cada uma das opções abaixo):

  • 66% dos que compraram nos EUA afirmam que a qualidade dos produtos é a principal razão para fazê-lo
  • 65% dizem comprar nos EUA por ter confiança de que os produtos são originais
  • 65% o fazem pela chance de descobrir produtos novos

Compradores online têm maior propensão de comprar em sites estrangeiros que oferecem:

  • Frete grátis (52% dos compradores online disseram que esta possibilidade os faria mais predispostos a comprar de sites de outros países)
  • Modalidade segura de pagamento (50%)
  • Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) em sua própria língua (47%)
  • Entrega mais rápida (46%)
  • Exibição de custos/Possibilidade de pagar em sua moeda (46%)

64% dos compradores online entrevistados no Brasil disseram que começaram a fazer compras online em um site de outro país, mas abandonaram o processo antes do fim. As cinco razões principais para isso são (% dos compradores online que abandonaram uma compra cross-border por item):

  • Taxa de envio/postagem muito alta (36%)
  • Prazo de entrega muito extenso (35%)
  • Falta de segurança no site (30%)
  • Taxa de câmbio desfavorável (29%)
  • Informação deficitária quanto a taxas extras a serem pagas (28%)

Atitudes dos compradores online em relação às compras online cross-border:

  • 60% dos compradores online brasileiros disseram não se sentir confortáveis ao comprar online em outra língua (eram 57% na pesquisa de 2015)
  • 57% disseram preferir as grandes lojas online globais quando fazem compras em sites de outros países (eram 65% em 2015)
  • 38% dos compradores online se declararam confortáveis em comprar em uma loja online de outro país (eram 47% em 2015)

A pesquisa que Ipsos MORI fez sob encomenda do PayPal traz dados bastante interessantes nesta edição 2016. Primeiro, o chamado social commerce já não é apenas uma promessa. O número de compradores por meio de redes sociais já equivale a metade dos que o fazem por meio de aplicativos mobile. Segundo, houve uma diminuição na proporção de usuários que compraram cross-border no ano passado – queda provavelmente relacionada com o movimento desfavorável do câmbio no período -, mas há sinais, no estudo, que apontam uma recuperação em 2016. E, em terceiro lugar, percebeu-se um aumento da concentração na China como destino das transações cross-border dos brasileiros, provavelmente relacionado ao perfil de produtos de preço mais baixo – que, por sua vez, se conecta com a situação de menor renda discricionária da população por causa da crise.

Renato Pelissaro, diretor de Marketing do PayPal para a América Latina

Sobre a pesquisa PayPal Insights 2016

A pedido do PayPal, a Ipsos entrevistou uma amostra* representativa de aproximadamente 28 mil pessoas (com 18 anos ou mais) que usam ou têm um equipamento** com acesso à internet em 32 países (Reino Unido, Irlanda, França, Alemanha, Itália, Espanha, Holanda, Suécia, Bélgica, Portugal, Rússia, Hungria, Polônia, República Tcheca, Grécia, Israel, Emirados Árabes Unidos, Egito, África do Sul, Nigéria, Brasil, México, Argentina, Peru, Chile, Estados Unidos, Canadá, Índia, China, Japão, Tailândia e Cingapura). As entrevistas foram conduzidas online entre agosto e outubro de 2016. O trabalho de campo no Brasil foi conduzido entre 29 de setembro e 3 de outubro de 2016, a partir de uma amostra de 802 pessoas. Os dados foram ponderados para representar a incidência de compradores online em todos os países da pesquisa. Em alguns deles – Cingapura, Egito e Emirados Árabes – os dados foram ponderados também para se ajustarem ao perfil demográfico dos usuários de internet.

(*) Idade, sexo e região representativos da população online. Não foram determinadas quotas para a Nigéria, uma vez que não existe um perfil disponível de usuários de internet nesse país.
(**) Computador, desktop, laptop, notebook, tablet, smartphone, outros tipos de telefones móveis, organizador eletrônico, PDA com funções de wireless e acesso a dados, consoles de jogos com conectividade à internet, a exemplo de Wii, PlayStation e Xbox, e Smart TV.